Trabalho do Crer com próteses tatuadas é destaque em programa da Globo

Trabalho do Crer com próteses tatuadas é destaque em programa da Globo

14
Imagem: Reprodução TV Globo

A atleta Rayane Sena, paciente do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo – Crer, construído pelo Governo de Goiás, foi convidada especial do programa Encontro, da Rede Globo, nesta terça-feira, dia 07, e deu uma lição de otimismo e superação ao relatar sua trajetória de recuperação de uma amputação. Após sofrer um acidente de moto aos 17 anos, ela teve a perna direita amputada e fez a reabilitação no Crer.

No programa, a atleta relatou aos telespectadores e à Fátima Bernardes que o uso da prótese foi uma adaptação difícil no começo, mas que se tornou muito mais fácil após o trabalho da Oficina Ortopédica do Crer, que inovou ao estampar as tradicionais próteses cor da pele, numa espécie de tatuagem ao gosto de cada paciente.

Rayane por exemplo, recebeu a prótese do time do coração, o Goiás Esporte Clube, e agora, na segunda estampa, caveirinhas divertidas para agradar ao filho Iarley. “Todo o atendimento é inteiramente gratuito”, destacou a própria Fátima. A atleta contou que só teve coragem de usar saias e vestidos e mostrar a prótese após o trabalho de estampa, feito com muito capricho pela equipe do Crer.

Estampas

A iniciativa partiu dos próprios colaboradores da oficina ortopédica, que tiveram a ideia de personalizar os dispositivos, transformando uma prótese convencional em um produto individualizado, de acordo com o gosto do paciente. São os próprios pacientes que decidem a imagem que aplicarão em suas próteses. A equipe já “tatuou” dezenas de imagens diferentes nas próteses dos pacientes.

O gerente da Oficina Ortopédica do Crer, Alysson Alvim Campos, relatou que o resultado agradou e muito aos pacientes. “Eles trazem a estampa que querem laminar na prótese e quando pronta, fica muito bonita. Os colaboradores da oficina estão caprichando bastante nesse trabalho, que tem ajudado pacientes amputados a se adaptarem melhor com a prótese, além de elevar a autoestima”.

A personalização tem custo zero, e é feita de forma gratuita aos pacientes do Crer. A Oficina Ortopédica do Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) inovou na fabricação das próteses dispensadas aos pacientes que encaram o trabalho como uma espécie de “tatuagem”. “O custo é irrisório diante do benefício aos pacientes na sua reabilitação e mesmo na adaptação deles à prótese”, destaca Alysson. O trabalho tem chamado a atenção dos pacientes e, após as reportagens, a demanda pela troca de próteses “tatuadas”, aumentou.

Goiás Agora

Sem comentários

Deixe uma resposta