sexta-feira, 15 dezembro, 2017
Segurança
Segurança

5
Imagem: Reprodução Internet

O motorista Cleyton da Silva Nascimento, de 30 anos, foi encontrado no final da tarde desta sexta-feira (01/12), pela Polícia Militar de Anápolis. Ele, que presta serviço para o aplicativo Uber, estava desparecido desde às 19 horas de quinta-feira (30/11).

Conforme a corporação, ele foi encontrado próximo ao distrito de Interlândia, em uma região rural, na beira de um rio, com os pés e mãos amarradas. Cleyton apresentava um quadro de hipotermia quando foi encontrado e por isso foi levado ao Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (Huana).

 

Ainda de acordo com os policiais, as viaturas monitoravam a área porque outros colegas do rapaz que faziam buscas na área teriam ouvido gritos da vítima. Cleyton foi sequestrado e depois deixado no local. Seu carro e objetos pessoais foram levados.

Fonte: DM

10
© Divulgação/MP-GO

Após investigações do Ministério Público de Goiás, foram presos, nesta terça-feira (21), o diretor da Unidade Prisional de Anápolis,a 55 km de Goiânia, um supervisor, um agente penitenciário e mulheres de detentos. A apreensão aconteceu durante a segunda fase da Operação Regalia, que tem a missão de combater mordomias e a prática de crimes dentro de presídios.

Segundo informações do G1, presos tinham a permissão de sair para festas, traficar drogas e até mantinham um motel no local. “Havia um verdadeiro escritório seguro do crime, tráfico de drogas, até homicídio a gente conseguiu levantar de um preso que, em tese, teria suicidado. É uma gama de pequenos crimes que se prolongaram por muito tempo e ultrapassaram todos os limites”, disse o promotor de Justiça Thiago Galindo.

Questionado sobre o funcionamento do motel no presídio, havia toda uma estrutura em uma área que deveria operar um depósito de materiais. “Segundo o relatório da própria Seap, tinha até um livro com o telefone das mulheres que seriam chamadas. Era como um quarto de motel mesmo, com bombom, frutas”, detalhou Galindo.

Na manhã de hoje, foram cumpridos 11 mandados de prisão, sendo cinco de prisão temporária contra o diretor, o supervisor, um agente e duas mulheres de presos, seis de prisão preventiva em relação aos envolvidos que já estavam presos, 7 conduções coercitivas contra um agente, ex-agentes e pessoas ligadas aos internos.

10
Imagem: Divulgação Internet

Um homem, de 49 anos, foi preso nesta última quinta-feira (16) por suspeita de estuprar, agredir e manter em cárcere privado a esposa. O crime ocorreu em Juiz de Fora, Minas Gerais. De acordo com o G1, o casal se relacionou por 28 anos. O homem mantinha a vítima em cárcere privado desde 2015.

“A prisão preventiva não tem prazo para terminar, portanto ele não será solto a qualquer momento, vai depender do juiz. Enquanto ele foi um risco à integridade sexual da vítima, o investigado não será solto”, afirmou a delegada.

Além deste crime, o suspeito também vai responder por atentado violento ao pudor contra as duas filhas, enquanto eram menores de idade.

*Minuto da Noticia

13
Imagem ilustrativa

Um homem foi preso após espancar a ex-esposa nesta última quarta-feira (15) e ameaçá-la de morte por conta do cachorro do casal. Crime ocorreu em Planaltina, no Distrito Federal.

O suspeito alegou que o animal deveria ficar em sua posse, de acordo com o que foi combinado durante a separação. Segundo informações, o homem perdeu a cabeça quando descobriu que sua ex havia vendido o cachorro. O suspeito espancou a ex-companheira e ainda quebrou uma televisão da casa.

11
Imagem: Divulgação Internet

Em 17 meses de operação, a força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro ajuizou 25 ações penais contra 134 pessoas, sendo que 15 acusações são contra o ex-governador Sérgio Cabral. O balanço foi divulgado hoje (17) pela Procuradoria da República no estado.

Ao todo, foram 17 operações em conjunto com a Polícia Federal, 15 acordos de colaboração premiada, 57 prisões preventivas, 12 temporárias, 34 conduções coercitivas e 211 mandados de busca e apreensão cumpridos. Mais de R$ 450 milhões já foram ressarcidos e pagos em multas compensatórias decorrentes de acordos de colaboração, sendo que o MPF pede mais R$ 2,3 bilhões em reparação pelos danos provocados pela organização criminosa.

O ex-governador Sérgio Cabral já foi condenado em duas ações penais na Justiça Federal do Rio de Janeiro no âmbito da Lava Jato. Há um ano ele está preso, inicialmente em Bangu, e depois no presídio de Benfica, na zona oeste da capital fluminense.

Outras 30 pessoas também já foram condenadas na Lava Jato no Rio. Somadas, as penas ultrapassam 377 anos de prisão. Os principais crimes cometidos pela organização criminosa foram: fraude a licitações, corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro, organização criminosa, falsidade ideológica, evasão de divisas, crime contra a ordem econômica (cartel), crime contra o sistema financeiro, embaraço a investigação de organização criminosa e tráfico de influência.

9
Foto: Divulgação

O diretor do Instituto de Identificação, Antônio Maciel Aguiar Filho goias biométrico (8)O Instituto de Identificação da Polícia Civil divulgou os novos prazos para entrega das carteiras de identidades emitidas desde o dia 14 de novembro. Para quem requerer o documento em Goiânia, o prazo de entrega será de 30 dias úteis. Para o interior, serão 50 dias úteis.

Os casos de emergência serão atendidos nas unidades dos Vapt Vupts, e a entrega está estimada em 10 dias. O período estipulado para correção de erros é de 15 dias. Para casos de urgência, a pessoa pode procurar a sede do órgão, na Rua 66, Centro.

Segundo o diretor do instituto, Antonio Maciel, vários fatores contribuíram para que houvesse demora na entrega do documento nos últimos meses. Ele citou o encerramento do contrato, por decisão judicial, com o consórcio de empresas contratado para implementar o projeto Goiás Biométrico: “A contratada ficou impedida de prestar serviços durante um ano e quatro meses, o que afetou o desenvolvimento e implementação do fluxo de trabalho do sistema. Com isso, as etapas do processo de emissão do documento de identidade foram diretamente afetadas”, afirmou.

Maciel lembrou, também, que houve a necessidade de um período de treinamento e adaptação para os operadores do sistema e do atendimento nas unidades do Vapt Vupt, já que agora o processo é totalmente digital. O diretor lembrou, ainda, que a demanda aumentou de forma vertical com a exigência, por parte de diversos segmentos públicos e privados, da validade do documento por 10 anos. “Crianças e adolescentes que rotineiramente utilizavam apenas a certidão de nascimento passaram também a utilizar o documento, já que é o único que garante a unicidade”, disse.

A inauguração da Central de Emissão de Documentos do Instituto de Identificação, prevista para o próximo mês de dezembro, será de fundamental importância para dar maior agilidade ao processo, lembra Maciel. “Teremos, a partir daí, condições de reduzir ainda mais os prazos estabelecidos agora”.

Goiás Agora

5
Imagem: Divulgação PRF

A Polícia Rodoviária Federal de Goiás prendeu no sábado (11) um motorista por dirigir embriagado, na BR-070. Ao passar por uma blitz com o som alto, o homem de 26 anos foi parado pela polícia em Aragarças, na região sudoeste de Goiás, mas conseguiu fugir. De acordo com o G1, os agentes conseguiram deter o jovem, momento em que descobriram que ele transportava dois porcos abatidos no carro – um deles na cadeirinha de bebê.

Entre os animais abatidos, que segundo o motorista estariam encomendados por terceiros, foram encontradas várias latas de cerveja.

Para conseguir interceptar o veículo, os agentes enfrentaram pelo menos dez minutos de perseguição pelas ruas da cidade. O teste do bafômetro revelou 0,82 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões do jovem.

A PRF de Goiás informou que o homem vivia em um assentamento rural na região em que foi preso. Após ser detido por embriaguez ao volante, ele foi encaminhado para a delegacia.

“Ele nos contou que tentou fugir porque pensou que éramos de algum órgão ligado a questões sanitárias porque estaria levando os animais de forma incorreta”, explicou ao portal.

4
Imagem: Divulgação Policia Cívil

A Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) deve fechar este ano com mais de 40 toneladas de drogas destruídas. Além das oito toneladas incineradas nesta quinta-feira, dia 9, em uma indústria de Rio Verde, pelo menos mais uma incineração está programada para dezembro. Segundo o titular da especializada, Vinícius Teles, até o momento, 33 toneladas de entorpecentes apreendidos já foram incineradas.

Além da repressão ao tráfico no âmbito estadual, que gerou, apenas neste ano, apreensão de mais de oito toneladas de drogas pela delegacia, a Denarc também é responsável pela gestão e destruição de toda a droga apreendida pelas forças policiais goianas. “Somando todas as drogas apreendidas, mais a incineração programada, devemos fechar o ano com mais de 40 toneladas de drogas incineradas, um recorde”, diz Teles.

As incinerações, procedidas em uma rotina praticamente mensal em 2017, compõem uma força tarefa da seção administrativa da delegacia. A meta é iniciar 2018 com a integralidade das drogas apreendidas e com autorização judicial para queima destruídas.

Assessoria de Imprensa da Polícia Civil

7
Reprodução: © Ueslei Marcelino / Reuters

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega nesta quarta-feira (8), no âmbito da operação Zelotes. Ele é acusado de corrupção, advocacia administrativa tributária e lavagem de dinheiro. As informações são do G1.

Além do ex-ministro, foram denunciados o ex-presidente do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) Otacílio Cartaxo e outras 12 pessoas.

O MPF afirma que houve manipulação da composição e do funcionamento do Conselho Superior de Recursos Fiscais, órgão do Carf, para a empresa Cimentos Penha de forma ilegal. Em troca, segundo a acusação, houve pagamento de propina.

Minuto da Noticia

9
Foto: André Coelho / Agência O Globo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu hoje (8) no Supremo Tribunal Federal (STF) a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral para um presídio federal. Em parecer enviado à Corte, a procuradora afirma que Cabral “desempenhou função de liderança em organização criminosa” que atuou no Rio e cita suposto privilégios indevidos dentro do presídio em Benfica, onde o ex-governador está preso.

Segundo Dodge, Sério Cabral está recebendo tratamento privilegiado e faz ameaças ao juiz Marcelo Bretas, relator das ações penais a que o ex-governador responde na Justiça Federal do Rio.

“É por esta razão que, para evitar que o paciente exerça sua condição de líder de organização criminosa, com força política e poder de influência inegáveis no Estado do Rio de Janeiro, para obter e gozar de benefícios indevidos no cárcere e receber informações privilegiadas aptas a causar embaraços, intimidação e ameaçar ostensiva ou veladamente o magistrado competente para processar e julgar diversas ações penais que tramitam contra ele, é necessária sua transferência para um dos presídios federais.”, diz o parecer.

Há duas semanas, o ministro Gilmar Mendes rejeitou o mesmo pedido de transferência. Gilmar argumentou na decisão que a atividade profissional da família de Bretas havia sido divulgada pelo próprio juiz em uma reportagem publicada um mês antes da audiência na qual Cabral demonstrou conhecimento sobre ela, motivo pelo qual não se poderia inferir que o ex-governador estaria recebendo informações indevidas dentro da prisão.

Agência Brasil